Torcida brasileira

Brasil 0 X 0 Bolívia.

O placar representa o que foi o jogo. Diante de expectativas de goleada, o Brasil parou na fortíssima marcação do time boliviano. Que por sua vez, viajou para o Rio de Janeiro atrás de um empate, e conseguiu exatamente o que queria.

Quem assistiu o jogo ontem, obviamente se decepcionou. Mas, de quem é a culpa por tamanha incompetência? De Dunga? Ricardo Teixeira? Dos jogadores? Do Lula? Talvez de todos? Particularmente tenho uma posição diferente sobre o porquê da seleção não conseguir atuar de forma convincente em casa. É óbvio que cada um tem sua parcela de culpa, mas a maior, a maior de todas as causas, é a nossa torcida.

Quem me conhece e acompanhava meu blog anterior sabe que frequento estádios de futebol a mais de dez anos, e conheço um pouco sobre o ambiente dentro dos estádios. A torcida brasileira é ridicula, vergonhosa. Chega a tal ponto que os jogadores desistiram de pedir apoio aos torcedores, agora pedem apenas por paciência, implorando para que não sejam vaiados.

Imagine-se um jogador boliviano, viajando para jogar contra os “melhores do mundo”, com o intuito de defender, e apenas defender para talvez arrancar um empate suado. Imaginou?

Agora, com 25 minutos do primeiro tempo, começam as primeiras vaias contra seleção da casa. E conforme o jogo rola, a vaia apenas aumenta. É claro que isso dá uma motivação a mais para o jogador adversário, que passa a correr mais, vibrar mais, e perceber da maneira mais gratificante possível que todo seu esforço está valendo a pena. O Brasil por sua vez, toca a bola de um lado para o outro, depois do outro para o um, e nada acontece.

Contra o Equador, numa goleada de 5 x 0 foi a mesma coisa, no primeiro tempo o Brasil venceu apenas por 1 a 0 e, até marcar o primeiro gol o estádio inteiro já vaiava a seleção, depois com 4 gols no segundo tempo, e show de Robinho, tudo virou festa, e ninguém lembrou-se das vaias.

Mas até fazendo festa nossa torcida é sem graça. Ou será que alguém ainda aguenta ouvir: “Eu, sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”?? Esse grito já está mais do que saturado, e depois de repetido 4 ou 5 vezes, o estádio volta ao silêncio. Alguns minutos passam, o Brasil tem um lance perigoso, e recomeça o criativo canto, “Eu, sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”.
Não aguento mais.

Se os méritos da torcida em algumas vitórias de clubes são exaltados, por que os deméritos não podem, ao menos ser citados? Criticar a torcida do próprio país faz de mim menos patriota ou alguma coisa do tipo? É claro que não. Se quem foi ao Engenhão na noite de ontem apoiasse o time, cantasse, vibrasse, e fizesse pressão durante os 90 minutos, a Bolivia dificilmente aguentaria, e nosso time cresceria, empurrado pela massa.

Não estou dizendo que quem pagou pelo seu ingresso não tem o direito de vaiar, muito pelo contrario, tem mais é que fazê-lo, mas ao final do jogo. Se o esforço do time em conjunto com o apoio vindo da arquibancada não for suficiente para a vitória. Daí sim as vaias seriam merecidas.

E se, os jogadores por sua vez, se revoltassem contra a torcida e os vaiassem, por fazerem tanta pressão e não ajudarem em nada. Estariam eles errados?

Mnas foi apenas um empate, e é óbvio que vamos nos classificar, afinal temos a melhor seleção do mundo e somos brasileiros, com muito orgulho, com muito amor…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: